Notícias

Colégio Notarial do Paraná marca presença em evento sobre perspectiva de gênero no Direito de Família

Publicado em 13/06/2024

Nesta quinta-feira (13/06), o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) sediou um evento de grande importância para o cenário jurídico brasileiro: a discussão sobre a Aplicação do Protocolo para Julgamento com Perspectiva de Gênero no Direito de Família. O encontro, que reuniu autoridades como, Ministério Público do Paraná, OAB-PR, Defensoria Pública e demais órgãos ligados ao sistema judiciário, contou com a participação do presidente do Colégio Notarial do Brasil – Seção Paraná (CNB/PR), Daniel Driessen Junior e Cristina Tonet Colodel, tabeliã do 2° Tabelionato de Notas de Irati.

Dentre os participantes que marcaram presença na abertura do evento, destacou-se a presença do Ministro Edson Fachin, Vice-Presidente do Supremo Tribunal Federal, cuja contribuição enriquece os debates sobre a temática em pauta. Contudo, a atuação do representante do CNB/PR, foi de suma importância com o tema apresentado, visto a relevância do papel dos notários no contexto do Direito de Família, que lidam com as questões de gênero diariamente.

“Essa nova ferramenta que está disponível irá atuar de forma ágil e prática o acesso à essas jurisprudências, tanto para a população, quanto para os advogados e para o Tabelião de Notas.” comentou o presidente.

Driessen ainda prestigiou o lançamento da obra “Direito das Famílias com Perspectiva de Gênero”, que contribuirá para a reflexão e aprimoramento das práticas jurídicas no campo do Direito de Família, das Crianças e das Associações. Escrito pelo Desembargador de Justiça do Paraná, Eduardo Augusto Salomão Cambi, o livro representa um importante marco na produção acadêmica brasileira, trazendo à tona questões fundamentais sobre a interseção entre gênero, direito e família.

A presença do CNB/PR nos eventos não apenas confirma o compromisso da entidade com a promoção da igualdade de gênero e o respeito aos direitos humanos, mas também evidencia a importância da participação ativa das instituições notariais nos debates contemporâneos sobre justiça e igualdade.